Métodos contraceptivos: Tire suas dúvidas!

Você conhece a eficácia dos principais métodos contraceptivos? Ainda tem dúvidas sobre alguns mitos e verdades sobre esse assunto? Confira o conteúdo que preparamos sobre o tema e saiba como se prevenir da melhor forma!

Quais são os principais métodos contraceptivos?

Existem dois tipos de métodos contraceptivos: os hormonais, como a pílula anticoncepcional, e os não hormonais, como a camisinha. A adaptação e o índice de falha variam conforme o organismo de cada mulher, portanto, é fundamental realizar o acompanhamento com um ginecologista antes de optar por um método preventivo!

Entenda a eficácia de cada método:

Hormonais

Pílula                                                                                  0,1% de falha

Injeção anticoncepcional                                              0,1% de falha

SIU                                                                                     0,1% de falha

Implante                                                                            0,1% de falha

Anel vaginal                                                                      0,1% de falha

Adesivo anticoncepcional                                             0,1% de falha

Pílula do dia seguinte                                                     5% a 20% de falha

Não hormonais

DIU                                                                                     Menos de 1% de falha

Vasectomia                                                                      Menos de 1% de falha

Laqueadura                                                                     Menos de 1% de falha

Camisinha                                                                         8% a 20% de falha

Diafragma                                                                         8% a 20% de falha

Vale ressaltar que, em todos os casos, a camisinha é sempre o método mais recomendado, pois além de prevenir a gravidez, também evita doenças sexualmente transmissíveis, como AIDS, Sífilis, HPV e Herpes.

Em casos em que a camisinha estoura, ou não há a prevenção correta com o anticoncepcional, é indicado a contracepção de emergência, conhecida a pílula do dia seguinte. Esse método apenas funciona antes da fecundação do óvulo, portanto, o ideal é que aconteça o quanto antes, dentro do prazo de 72 horas. É importante lembrar que a pílula do dia seguinte deve ser utilizada apenas quando não há alternativas, e nunca pode ser ingerida mais de uma vez por mês, já que o alto nível hormonal do remédio pode causar efeitos colaterais e alterar o ciclo menstrual, além de perder a eficácia conforme a quantidade de doses.

Esquecer o anticoncepcional um dia aumenta o risco de engravidar?

Sim! A pílula anticoncepcional deve ser tomada sempre no mesmo horário, todos os dias. Em casos de atraso, o ideal é que a mulher tome a pílula em um período de até 12 horas depois do horário habitual, o que já compromete a eficácia do remédio. Assim, é sempre importante manter o acompanhamento com um ginecologista e seguir a prescrição médica!

Emendar duas cartelas de pílulas para evitar a menstruação faz mal?

Não, a emenda da cartela não causa prejuízo algum ao organismo, inclusive ameniza os sintomas da TPM. Alguns especialistas até recomendam o método na prevenção da endometriose. Porém, é sempre necessário consultar um médico antes.

O anticoncepcional reduz a TPM?

Sim, além de atuar como regulador do período menstrual, o anticoncepcional também minimiza os sintomas da TPM (Síndrome Pré-Menstrual), como a cólica, ansiedade e acne.

Conte com o seu médico para escolher o melhor método contraceptivo, além de realizar os exames periódicos e manter a sua saúde íntima. Doenças como o câncer de mama e de cólon de útero podem ser prevenidas e combatidas a partir do diagnóstico e acompanhamento com um ginecologista!