O Hospital Regional do Tapajós (HRT), Teófilo Olegário Furtado completa no dia 9 de julho, um ano de funcionamento. A Unidade localizada em Itaituba, no sudoeste do Pará, integra a rede da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), foi entregue pelo Governo do Pará como unidade referência para tratamento de Covid-19 para garantir o atendimento a pessoas diagnosticadas e suspeitas de infecção do novo coronavírus e hoje vem ampliando gradativamente os serviços de assistência especializada, com cirurgias e outros serviços que beneficiam a população da região do Tapajós.

Os serviços do HRT têm beneficiado e garantido a assistência de média e alta complexidade dos moradores de Itaituba, Aveiro, Jacareacanga, Novo Progresso, Rurópolis e Trairão, que integram a região do Tapajós, e que antes precisavam se deslocar para outras regiões, principalmente para a cidade de Santarém, onde está localizado o Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA) para receber atendimento especializado.

Em janeiro do presente ano sob gestão do Instituto Mais Saúde (ISMS), foi dado início ao processo de ampliação gradativa do perfil de atendimento do hospital. Com a implantação do acolhimento e centro cirúrgico, o HRT passou a dispor dos serviços de Urgência e Emergência em traumatologia com atendimento adulto e pediátrico na modalidade de atendimento porta aberta e via regulação estadual como também oferta de cirurgias de média e alta complexidade.

O hospital também dispõe de assistência de apoio diagnóstico e terapêutico e serviços multiprofissionais como fisioterapia, nutrição, hemodiálise e assistência psicossocial, no entanto ainda são serviços direcionados somente a pacientes hospitalizados nas unidades assistenciais.

Além de manter o atendimento em politraumatologia por 24 horas em regime de porta aberta e o atendimento a pacientes com Covid-19, desde 10 de maio o HRT mantém consultas ambulatoriais, onde já registou mais de de 1.444 atendimentos ambulatoriais, agendadas via regulação estadual.

Entre os atendimentos, a unidade já garantiu mais de 1.750 internações, sendo quase 1.100 delas de pacientes com à Covid-19, além de 1.361 atendimento de urgência/emergência, 1.033 cirurgias, entre ortopédicas, cirurgias gerais e neurocirurgias, 77.905 exames laboratoriais e de 6.898 exames especializados como de radiologia e tomografia computadorizada.

Devido às complicações nas funções renais de pacientes em estado grave da Covid-19, o HRT disponibiliza desde sua inauguração máquinas nas Unidade de Terapia Intensiva (UTI) que tem ajudado no tratamento e recuperação dos pacientes, onde já foram realizados mais de 600 procedimentos de hemodiálise.

A unidade dispõe atualmente de 90 leitos regulados para atendimento exclusivo de COVID, sendo 44 leitos clínicos e 46 leitos de UTI adulto. Referente ao atendimento de urgência e emergência para trauma oferta-se 04 leitos de emergência, 12 leitos de observação, 06 salas cirúrgicas, 54 leitos clínicos cirúrgicos e 10 leitos de UTI adulto geral, totalizando 170 leitos operacionais no geral.

O HRT além de fortalecer os atendimentos clínicos, proporcionou também à população da região do Tapajós a geração de mais empregos e, consequentemente, de renda. A Unidade conta hoje com aproximadamente 600 profissionais da área da saúde e têm trabalhado em escala de plantão, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, farmacêuticos, bioquímicos, assistentes sociais, técnicos de enfermagem, engenheiros clínicos, psicólogas, técnicos de laboratório, técnicos em radiologia, assistentes e auxiliares administrativos e auxiliares de farmácia.

Para ratificar a importância da unidade, que é um dos marcos para a história de Itaituba e da região do Tapajós, a diretora-geral da unidade, Karla Cajaíba, ressaltou sobre o primeiro ano de funcionamento do HRT.

“Estar à frente da unidade hoje para mim é uma honra. Agradeço a todos os colaboradores, pois sem eles não teríamos salvo tantas vidas. Um hospital não se faz apenas com concreto, mas também com sentimentos e coração e, sobretudo, com as mãos de muitos que aqui trabalham. Essa unidade tem sido fundamental no combate à Covid-19 e tem salvado muitas vidas, mas, além disso, ficará como legado da gestão do governador Helder Barbalho para a região, que já conta com serviços que antes não dispunha. Hoje, comemoramos não só números positivos de atendimentos, mas as muitas vidas que esses números representam”, pontuou.

Douglas Gomes