Hospital Abelardo Santos realiza Semana da Segurança do Paciente

WhatsApp Image 2022-04-25 at 14.01.46

Durante cinco dias de programação, colaboradores de todos os setores serão alcançados com ações que abordam as seis metas preconizadas pela OMS

Empenhado na entrega de serviços de excelência à população paraense, de forma segura e com qualidade, o Governo do Estado do Pará tem garantido ações efetivas dentro das suas unidades de saúde. Nesta semana, o maior Hospital da Rede Estadual de Saúde, o Regional Dr. Abelardo Santos (HRAS), localizado em Icoaraci, distrito de Belém, inicia diversas estratégias que sustentam as boas práticas em saúde.

A Semana da Segurança do Paciente que iniciou nesta segunda-feira (25) segue até sexta-feira (29). Durante os cinco dias de programação, diversas palestras, oficinas e rodas de conversas serão realizadas com o objetivo de atender a todos os setores do hospital. Os temas estão relacionados às seis metas preconizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), as quais têm como finalidade a redução de riscos de danos desnecessários associados à assistência em saúde.

Temas – Para se ter uma ideia, a cada ano, 234 milhões de cirurgias são realizadas no mundo, segundo a OMS. Isso significa que uma a cada 25 pessoas será submetida a uma operação e a todos os seus riscos. Os números publicados pela Organização, vão além: 7 milhões de pacientes que sofrem complicações pós-operatórias, 1 milhão morrem. No entanto, metade dessas intercorrências são potencialmente evitáveis. Para ressaltar a importância das normas de segurança cirúrgicas a serem adotadas, durante a Semana, será abordado o tema cirurgia segura.

“Os protocolos de cirurgia segura é uma medida com objetivo de reduzir e prevenir eventuais acidentes que um agente de saúde, como médico, enfermeiro ou outro profissional da área, pode enfrentar. Foi criada uma lista de etapas de segurança a qual garante que qualquer procedimento que esteja realizado no paciente, seja feito de forma correta, no lugar correto e sob as práticas seguras, desde a entrada até a saída”, observou a enfermeira Vera Nunes, supervisora do complexo cirúrgico do HRAS e facilitadora da ação. Apenas no último mês, foram realizadas 555 cirurgias na unidade em 13 tipos de especialidades.

A primeira meta da Segurança do Paciente também é o primeiro passo a ser adotado para não ocorrer incidentes. A identificação correta do paciente requer, no mínimo, o nome completo e a data de nascimento, como protocolos de segurança.  A supervisora de atendimento, Waldilene Tavares, foi uma das facilitadoras da oficina com o tema.

“É na recepção onde tudo começa. Então, todos os colaboradores do setor, precisam ter o máximo de atenção na identificação desse paciente, pois se na entrada houver algo de errado, isso levará a futuros problemas na vida desse paciente durante o tratamento no hospital”, observou Waldilene Tavares. A identificação correta visa também evitar aplicação indevida de medicação ou de procedimentos médicos, assim como facilita o trabalho do profissional de saúde.

Iniciativa- A iniciativa foi do Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP), em parceria com o NEP- Núcleo de Educação Permanente e o GTH- Grupo de Trabalho de Humanização. “O objetivo é criar um clima de Segurança do Paciente, a fim de disseminar os Protocolos e para reduzir eventos ao paciente. A ideia, ainda, é ter toda a comunidade do HRAS focada em promover a assistência mais segura”, detalhou Hellen Monteiro, coordenadora do setor. A programação possui atividades educativas e planejadas  com a distribuição de brindes, além da entrega de folders informativos e cards das metas aos colaboradores.

O diretor executivo do Abelardo Santos, Marcos Silveira, detalha a ação. “Iniciamos uma programação que vai atender a todos os setores da unidade. A implementação das seis metas para segurança do paciente, além de ser uma prerrogativa da OMS, é um assunto que deve ser rotineiramente aplicado dentro de uma unidade de saúde, por todos os profissionais que nela estão inseridos.  O objetivo do HRAS é oferecer um ambiente cada vez mais seguro aos pacientes, acompanhantes e profissionais de saúde, em todas as etapas de assistência: da recepção até a alta hospitalar”, enfatizou o gestor.

Fonte: Roberta Paraense