Intolerância ao glúten: Entenda o que é e quais são os pontos de atenção

Sexta, 01 Fevereiro 2019 14:00 |

Cerca de 2 milhões de brasileiros apresentam intolerância ao glúten, que varia desde uma simples reação até o agravamento dos sintomas e desenvolvimento da doença celíaca. Essa sensibilidade pode surgir na infância ou na fase adulta e, sem o tratamento adequado, causa grandes prejuízos ao funcionamento do intestino, prejudicando a absorção dos nutrientes.

Primeiro, o que é o glúten e por que ele faz mal a algumas pessoas?

O glúten é uma proteína naturalmente presente em muitos cereais, como o trigo, o centeio e a cevada. Dessa forma, é encontrado em pães, cervejas, chocolates e massas, por exemplo.

O que acontece é que, em alguns casos, o intestino rejeita a substância, desencadeando uma reação do sistema imunológico que provoca danos severos ao órgão.

Quais são os sintomas da intolerância ao glúten?

Entre os principais sinais, estão:

  • Dor de estômago;
  • Inchaço abdominal;
  • Diarreia ou prisão de ventre;
  • Gases em excesso;
  • Vômito;
  • Anemias;
  • Alterações na pele;
  • Diminuição da fertilidade;
  • Alterações do ciclo menstrual.

Diagnóstico e tratamento

A intolerância ao glúten pode durar anos ou a vida inteira, mas uma dieta adequada, isenta da proteína, pode amenizar os sintomas e até mesmo reverter a sensibilidade.

Quando não diagnosticado e tratado corretamente, o quadro pode evoluir para a doença celíaca, inflamando e atrofiando as paredes do intestino, que perde gradativamente a capacidade de absorver os nutrientes dos alimentos e, inclusive, algumas medicações.

As causas da alergia ao glúten ainda não são totalmente comprovadas, embora os médicos acreditem que ela esteja associada a uma predisposição genética, bem como a piora na qualidade de vida, o estresse e o alto consumo de alimentos processados, industrializados, ou geneticamente modificados. Além da avaliação dos sintomas, é possível diagnosticar a reação a partir dos seguintes exames:

  • Exame de fezes: Teste Van der Kammer;
  • Exame de urina: Teste D-xilose;
  • Exames de sangue: Testes sorológicos Anti Gliadina, Endomísio e Transglutaminases;
  • Biópsia intestinal.

Não deixe de realizar o acompanhamento médico para o diagnóstico e o tratamento adequado da intolerância ao glúten!

Artigos que você também pode achar interessante