Dia Mundial do AVC: Saiba como se prevenir

Domingo, 29 Outubro 2017 10:00 |

29 de outubro é mundialmente reconhecido como o dia de conscientização e prevenção do AVC. Popularmente chamado de derrame, o Acidente Vascular Cerebral atinge cerca de 16 milhões de pessoas no mundo a cada ano, segundo dados do Governo Brasileiro. Entenda quais são os fatores de risco, principais sintomas, métodos preventivos e tratamentos.

Causas e Sintomas do AVC

O AVC ocorre quando há um entupimento (AVC Isquêmico) ou o rompimento (AVC Hemorrágico) dos vasos que levam sangue ao cérebro, provocando a paralisia da área cerebral afetada pela falta de circulação.

Histórico familiar da doença, problemas no coração, tabagismo, hipertensão e diabetes são os principais fatores de risco. Além disso, mulheres são naturalmente mais propensas a sofrer um derrame, bem como as pessoas que já tiveram um AVC anteriormente.

Entre os principais sintomas estão:

  • Dor de cabeça intensa;
  • Alterações na visão;
  • Dormência ou fragilidade em um lado do corpo;
  • Dificuldade de comunicação e compreensão;
  • Instabilidade e tontura, associadas ou não à náuseas e vômitos.

Prevenção e Tratamento

O AVC pode ser evitado em cerca de 90% dos casos. Como está ligado à circulação sanguínea, é muito importante evitar fatores que a prejudicam, como o tabagismo e hábitos sedentários. Além disso, manter uma alimentação saudável e atividades físicas regulares já é meio caminho andado para combater os possíveis riscos!

Vale ressaltar que o acompanhamento médico e os exames são fundamentais, principalmente em casos onde a pessoa apresenta problemas cardíacos e possui antecedentes no histórico familiar.

O tratamento e a reabilitação dependem da gravidade e das particularidades de cada caso. Quanto antes for o diagnóstico e o atendimento, maiores são as chances de recuperação e menores são as sequelas. Os exames adequados, como uma ressonância e uma tomografia, poderão identificar o tipo de AVC e, assim, direcionar o tratamento necessário.

Posteriormente, existem processos terapêuticos, por exemplo, que podem auxiliar na restauração das funções e áreas afetadas pelo derrame. Para garantir a qualidade de vida do paciente, é fundamental que esse processo seja acompanhado por uma equipe multidisciplinar de profissionais da saúde.

Se informe e se previna, consulte seu médico sobre os riscos e a prevenção do AVC!

Artigos que você também pode achar interessante