Como a informatização do atendimento pode transformar a área da saúde

Segunda, 23 Outubro 2017 17:37 |

Longas filas de espera, falta de médicos e precariedade dos espaços físicos são apenas alguns dos problemas que os usuários do SUS (Sistema Público de Saúde) estão habituados a enfrentar em muitas regiões do Brasil.

Isso explica, claro, a falta de confiança da população. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Datafolha, 6 em cada 10 brasileiros classificam o sistema de saúde público como ruim ou péssimo; um número que demonstra as consequências da má gestão e do baixo recurso de investimento no setor.

A complexidade assistencial e administrativa das unidades de saúde exige a aplicação de recursos e ferramentas eficientes, capazes de controlar todos os procedimentos de forma integrada. Assim, a inovação tecnológica possui papel fundamental na otimização e humanização do atendimento, favorecendo ainda a captação e análise de resultados para decisões estratégicas.

Um software adequado, além de proporcionar maior economia ao Poder Público, aprimora e aproxima o cuidado aos pacientes, facilitando a análise de exames, organização do quadro clínico, prescrição médica e, inclusive, o sistema de prevenção de doenças.

Apesar de parte dos municípios do país ainda não direcionar o devido investimento para esse recurso, a implantação de sistemas integrados já tem transformado o funcionamento de unidades de saúde em diferentes cidades. O Instituto Mais Saúde, por exemplo, promove a implantação de um ERP (software de gestão) especializado em todos os projetos que atua.

A ferramenta utilizada permite o acesso ao histórico do paciente, garantindo maior precisão, desde a triagem ao atendimento e diagnóstico médico. Com esse controle é possível ainda analisar os horários mais movimentados no pronto atendimento e, desta forma, distribuir adequadamente o quadro de funcionários e servidores. Para facilitar, o agendamento e a confirmação de consultas também podem ser realizados via mensagem SMS.

Outro benefício importante que o sistema traz é o monitoramento das ambulâncias por GPS. A localização do veículo pode ser supervisionada em tempo real e a rota pode ser definida antes mesmo da viagem. Caso haja qualquer desvio no caminho preestabelecido, a Secretaria de Saúde é automaticamente notificada. Esse recurso evita atrasos, possíveis desvios do percurso e o desperdício de combustível, além de oferecer mais agilidade no pronto atendimento.

O modelo de gestão compartilhada entre o Instituto Mais Saúde e as Prefeituras ainda possibilita que a implantação desse novo sistema seja realizada sem custo algum aos cofres públicos.

Os resultados são surpreendentes, destacando a saúde pública das cidades em suas respectivas regiões. No primeiro trimestre da execução do projeto em Marechal Floriano, por exemplo, uma pesquisa de satisfação entre os usuários mostrou que 72% das pessoas já sentia confiança nas equipes da saúde, e o tempo de espera para os atendimentos havia sido reduzido para 15 minutos.

De fato, um sistema informatizado pode potencializar cada uma das atividades e processos, reduzindo os erros por falha humana. Mas há também um aspecto importante a ser considerado: o software é utilizado por pessoas, e elas devem receber o devido treinamento para isso! Os profissionais da área da saúde devem acompanhar esse avanço, a partir da qualificação técnica adequada.

Artigos que você também pode achar interessante