Melhores salários e direitos trabalhistas estão atraindo servidores municipais da saúde de Marechal Floriano para Organização Social

Sábado, 14 Novembro 2015 16:46 |

Secretária anuncia que além da economia de recursos públicos, prestação de serviços por médicos gera receita de mais de R$ 100 mil anuais em impostos para a cidade

Rael Sérgio/Eduardo Antunes

Servidores públicos da Secretaria Municipal de Saúde de Marechal Floriano estão encerrando seus vínculos com o setor público ao se tornarem funcionários contratados por Organização Social, com direitos trabalhistas garantidos pela CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas). Os funcionários estão achando mais vantajoso, do ponto de vista profissional, ter os benefícios garantidos pela carteira assinada.

A Organização Social Mais Saúde, que está gerindo o setor em gestão compartilhada com a municipalidade, está oferecendo um salário melhor que dos efetivos e até comissionados da Prefeitura. Os funcionários ouvidos afirmam que o serviço está mais eficiente e oferecendo resposta rápida no atendimento aos pacientes com a implantação do novo sistema informatizado.

A auxiliar administrativa Scheila Littig afirmou que os motivos que chamaram sua atenção em trabalhar pela Mais Saúde foram os benefícios a que terá direito como funcionária, além de seu salário atual estar maior que o anterior - onde atuava como cargo comissionado.Marcos Stoff até o mês passado trabalhava como condutor de ambulância, com a mudança pode escolher atuar como técnico em enfermagem. “É uma realização profissional trabalhar em minha profissão na cidade onde moro. Não quero desmerecer o serviço público, mas está sendo melhor pelas garantias que temos com a CLT que o município não oferece”, afirmou.

Marcos Stoff até o mês passado trabalhava como condutor de ambulância, com a mudança pode escolher atuar como técnico em enfermagem. “É uma realização profissional trabalhar em minha profissão na cidade onde moro. Não quero desmerecer o serviço público, mas está sendo melhor pelas garantias que temos com a CLT que o município não oferece”, afirmou.

A enfermeira Juscenilda Pinheiro de Jesus mudou pelo salário atrativo e benefícios da carteira assinada, como o FGTS. Originária do setor privado, a auxiliar administrativa Aline Dourado foi convencida a trabalhar na organização pelos mesmos motivos. “A estabilidade é pela competência quando não há interferência política”, conclui.

A secretária de Saúde de Marechal Floriano, Maria Aparecida Trarbach, afirmou que está sendo respeitada a vontade dos servidores que desejam esperar o prazo de vigência de seus contratos, porém, alguns servidores se convenceram que está sendo melhor transferir seu vínculo anteriormente. Aparecida informou ainda que em breve irá fazer um balanço da economia de recursos públicos após o fechamento dos números.

Há uma estimativa de criação de nova receita com a contratação de prestação de serviço dos médicos pela Mais Saúde. A secretária fez um cálculo rápido de uma contratação de 17 médicos com a expedição de nota fiscal, a arrecadação da alíquota de 5% de ISS sobre o valor da nota possibilitaria uma receita estimada em R$ 8.500 mensais ou R$ 102 mil anuais, que a nova gestão compartilhada pode gerar para os cofres do município.

Artigos que você também pode achar interessante