Participe da Campanha de Doação de Medula Óssea em Ibirité

Quarta, 27 Setembro 2017 19:49 |

Hoje (27/09) comemoramos o Dia Nacional de Doação de Órgãos, e aproveitamos para falar sobre algo muito importante: a doação de medula óssea.

O transplante de órgãos é a única alternativa para muitos pacientes portadores de doenças terminais. Por isso mesmo, é preocupante a desproporção entre a alta demanda de transplantes e o baixo índice de doações efetivadas. Em casos de morte encefálica, os órgãos saudáveis podem ser doados, mediante a aprovação da família (portanto, caso queira ser um doador, é importante informar aos seus familiares). Mas, quem quiser contribuir e salvar vidas, já pode fazer a diferença! A doação de rins, fígado, medula óssea e pulmão pode vir de um doador vivo, sem causar danos à saúde.

Pensando nisso, a Prefeitura de Ibirité está realizando uma importante iniciativa em incentivo a doação de medula óssea, promovendo o cadastro de doadores voluntários.

Acontece que para ser um doador de medula, primeiramente, é preciso se cadastrar em um hemocentro e, assim, integrar o Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME), do Ministério da Saúde. Por isso, a campanha de Ibirité propõe uma iniciativa para ajudar quem deseja se candidatar.

No dia 02 de outubro de 2017, você poderá realizar o seu cadastro de forma mais prática, no Auditório Municipal de Saúde, a partir das 08h00.

Tem dúvidas sobre como funciona a doação de medula óssea? Nós te explicamos cada passo dessa iniciativa!

Doação de Medula Óssea

O transplante de medula óssea é um tratamento indicado para doenças ligadas à produção de células do sangue e à deficiências no sistema imunológico, como leucemia, linfomas e anemias graves (adquiridas ou congênitas). Além disso, outras doenças menos frequentes também podem ser tratadas com o transplante de medula, como as autoimunes e relacionadas ao metabolismo, mielodisplasias, e diferentes tipos de tumor.

O que dificulta a doação de medula óssea é a falta de doadores compatíveis. As chances atuais de um paciente encontrar um candidato compatível são de 1 em cada 100 mil pessoas, em média. Para ajudar, dificilmente o doador ideal está na família; 75% dos pacientes precisam de um candidato alternativo, cadastrado no REDOME ou nos bancos públicos.

Como se cadastrar

O candidato deve ter entre 18 e 54 anos e não pode apresentar nenhuma doença infectocontagiosa ou câncer. Assim, os interessados devem levar um documento de identidade com foto no setor de Captação de Doadores, em qualquer uma das unidades do Hemocentro, para a realização dos seguintes procedimentos:

  • Preenchimento do Formulário de Identificação;
  • Assinatura do Termo de Consentimento;
  • Coleta de amostra de sangue para o exame de Histocompatibilidade (HLA).

A partir disso, o tipo do doador será cadastrado no REDOME e, quando aparecer um paciente compatível, novos testes são realizados para confirmação. É importante ressaltar que o contato para a doação de medula óssea pode ocorrer até o candidato completar 60 anos. Assim, é essencial manter os dados atualizados no site do REDOME.

Como é realizada a doação de medula óssea?

A doação pode ser realizada a partir de um procedimento cirúrgico, que dura cerca de 90 minutos e requer anestesia peridural ou geral e internação de 24 horas. Nesse método, a medula é retirada do interior de ossos da bacia, por meio de punções, e em apenas 15 dias a medula óssea do doador se recompõe.

Chamado de coleta por aférese, o outro método consiste na doação por meio de uma máquina, que colhe o sangue da veia do doador, separa as células-tronco e devolve os elementos do sangue que não são necessários para o paciente. Nesse caso, o doador faz o uso de uma medicação por cinco dias, com o objetivo de aumentar o número de células-tronco circulantes no sangue, sem a necessidade de internação ou de anestesia.

A decisão sobre o método de doação mais adequado é definida pelos médicos conforme a situação do paciente e do doador.

Artigos que você também pode achar interessante