Entrevista exclusiva sobre a saúde de Barão de Cocais com o Prefeito Décio

Sexta, 05 Janeiro 2018 10:21 |

“Desde a implantação da gestão compartilhada com o Instituto Mais Saúde, observamos servidores mais satisfeitos e eficientes, um atendimento mais humanizado e pacientes melhor atendidos.”

Confira o bate-papo com o Prefeito Décio e entenda como o novo modelo de gestão compartilhada otimiza e humaniza o sistema público de saúde da sua cidade!


Parceria, planos, projetos e muitos proveitos!

1. Quando assumiu a Prefeitura de Barão de Cocais, quais eram os desafios enfrentados na área da saúde?

R: Nós tínhamos um hospital ineficiente, com muitas reclamações, funcionários e servidores desmotivados, além de um gasto estimado em R$1.600.000 (um milhão e seiscentos mil reais). Ou seja, nós tínhamos um gasto muito grande, com uma saúde de má qualidade e colaboradores trabalhando infelizes.

2. Como foi a decisão de implementar a gestão compartilhada da saúde no município?

R: Bom, nós estávamos enrolados com a folha de pagamento e observamos que a gestão compartilhada traria novas possibilidades e soluções. Então, começamos a visitar diversas cidades que apresentam esse modelo de gestão da saúde. Fomos a municípios de outros estados e até mesmo chegamos de surpresa em alguns deles, pois gostaríamos de sentir e ter uma noção de como funcionava na prática, evitando que mascarassem o atendimento.

Assim, vimos que em muitas cidades aquilo estava dando certo e tomamos com um desafio. Há 20 anos a administração de Barão de Cocais gostaria de implementar a gestão compartilhada, mas muitos tiveram receio. Eu tinha certeza que precisava mudar e tinha certeza que ia dar certo, como está dando.

Agora, estamos muito felizes em saber que somos referência em saúde. Somos uma referência em uma gestão compartilhada que deu certo. Isso foi, inclusive, representado no relatório da COSEMS. Dessa forma, muitas Prefeituras nos vêm visitar ou enviam Secretários de Saúde para conhecer nosso modelo de gestão. Hoje, vemos que fizemos a escolha certa!

3. Agora, quais são as prioridades para o setor?

R: Já vimos que a mudança foi positiva e ainda temos grandes metas a serem cumpridas. No ano de 2018, queremos diminuir ainda mais o tempo de espera do atendimento. Mas o nosso desafio agora é começar a fazer algumas cirurgias, que não eram feitas há muito tempo.

Estamos em processo de licitação para adquirir novas ferramentas e instrumentos e demos início ao projeto. Hoje, as cirurgias de catarata são todas feitas em nosso hospital, e já começamos a operar vesícula e hérnia também.

Outro objetivo é abrir a UPA, que deveria ter sido inaugurada em 2010. O prefeito na época e o seguinte não conseguiram inaugurar, então esse é o nosso desafio para 2018. Estamos engajados em destacar a saúde de Barão de Cocais na região!

4. Como a gestão compartilhada com o Instituto Mais Saúde tem colaborado com a desburocratização?

R: Temos que reconhecer que às vezes o Poder Público é ineficiente; ele demora a comprar e compra de uma maneira muito mais cara. Já com a gestão compartilhada, esse processo é muito mais eficiente. As organizações sociais conseguem realizar compras com maior agilidade e economia, por exemplo.

Percebemos também que, com o Instituto Mais Saúde, temos uma facilidade muito maior em encaminhar pacientes. Essa é uma grande conquista, pois antes tínhamos muitas dificuldades e problemas em encaminhar casos que não eram para o nosso hospital. Hoje, posso falar que isso praticamente acabou. Acima de tudo, essa parceria está possibilitando uma gestão muito mais eficiente.

5. De que forma a nova gestão promove a eficiência e a qualidade do serviço prestado?

R: Não podemos exigir um atendimento mais humanizado dos funcionários do hospital, se não damos a eles a condição de aprender a fazer um atendimento mais humanizado. Há profissionais que estão no hospital há mais de 20 anos e nos disseram que nunca tiveram um curso de capacitação. Pensando nisso, o Instituto Mais Saúde vem oferecendo cursos de humanização para todos os funcionários. Agora, a gente observa que os colaboradores estão mais motivados.

Acredito também que a uniformização é outro ponto muito importante. Quando chegamos lá e vemos todos os funcionários uniformizados, em uma recepção de pronto atendimento mais eficiente, sentimos também maior credibilidade e segurança.

6. Quais foram as principais ações realizadas que apresentaram um bom retorno para a população?

R: Entre os projetos que o Mais Saúde implementou está a caminhada, que teve adesão de boa parte da população. Há agora inclusive um projeto em conjunto à Secretaria de Esportes para a realização bimestral dessa atividade. Afinal, essa é uma maneira de convidarmos a população para medidas de conscientização e prevenção da saúde.

Podemos citar ainda as ações de Outubro Rosa, em que foram realizadas diversas mamografias, exame de prevenção do câncer de mama; além da campanha de novembro azul. Assim, nós vemos uma grande movimentação do Instituto Mais Saúde pela prevenção de doenças e isso é muito importante. O que o município nunca conseguiu fazer, hoje é realidade.

Atualmente, está acontecendo o mutirão de cirurgias de catarata, que está sendo reconhecido de forma positiva pela população.

7. Em sua opinião, quais são os principais resultados e benefícios já conquistados por meio da parceria com o Instituto Mais Saúde?

R: Tão logo o hospital começou a ter a gestão compartilhada, já percebemos grandes mudanças. A princípio, nós tivemos um gasto menor, ainda muito grande, mas com uma considerável economia. Hoje, também há uma sinergia muito boa entre os funcionários, percebemos que as pessoas estão mais felizes em trabalhar e, consequente, mais eficientes. Isso sem falar no atendimento, que está mais humanizado, com um tempo de espera muito menor.

Percebo principalmente que, depois que o Instituto Mais Saúde assumiu a gestão do nosso hospital, temos recebido grandes elogios; o que é difícil, especialmente do Poder Público.

Eu canso de falar: não é só porque é público que tem que ser ruim, o atendimento público pode ser bom! Então, ver isso nos deixa muito alegres. Esse é o lado bom de ser político. Poder trazer melhorias e ajudar as pessoas, sobretudo em relação à saúde, é muito gratificante.

"Eu canso de falar: não é só porque é público que tem que ser ruim, o atendimento público pode ser bom. Então, ver isso nos deixa muito alegres!"

*Décio Geraldo dos Santos nasceu em 10 de dezembro de 1971. Formado em Odontologia, foi eleito Prefeito de Barão de Cocais em 2016.

Artigos que você também pode achar interessante