Febre Amarela: Saiba mais sobre a transmissão, os sintomas e a prevenção

Quarta, 02 Agosto 2017 15:43 |

A febre amarela é uma infecção causada por um arbovírus e transmitida por mosquitos. Considerada perigosa e podendo levar à morte, o último surto da doença no Brasil ocorreu em 1942 e, agora, volta a apresentar centenas de casos em diferentes estados do país.

Com mais de 700 casos da infecção, apenas nos primeiros 5 meses deste ano, 240 mortes por febre amarela foram confirmadas pelo Ministério da Saúde. Minas Gerais é o estado mais afetado, registrando quase 70% dos casos até maio.

Transmissão

Há duas formas diferentes da doença: silvestre e urbana. O vírus é o mesmo, bem como os sintomas e o tratamento; a única diferença é o modo de transmissão. A febre amarela silvestre é transmitida pelos mosquitos Haemagogus e o Sabethes, enquanto que o transmissor da urbana é o Aedes aegypti, o mesmo da dengue, zika e chikungunya.

A doença não é contagiosa, ou seja, não há transmissão de pessoa para pessoa, ou por animais. A febre amarela é transmitida somente pela picada dos mosquitos infectados. O vírus é tropical e, portanto, mais comum na América do Sul e na África.

De acordo com o Ministério da Saúde, a época de maior incidência da febre amarela é durante os períodos de chuva, como no verão, quando há um aumento da população do mosquito, favorecendo a circulação do vírus.

Sintomas

De três a seis dias após ter sido infectada, a pessoa apresenta os sintomas iniciais, que incluem:

  • Início súbito de febre;
  • Calafrios;
  • Fortes dores de cabeça;
  • Dores nas costas e no corpo;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Fadiga;
  • Fraqueza.

Na maioria das vezes, a pessoa melhora após a fase inicial. No entanto, cerca de 15% dos infectados apresenta um breve período livre de sintomas, até desenvolver uma forma mais grave da doença, que inclui:

  • Febre alta;
  • Icterícia (coloração amarelada da pele e dos olhos que, inclusive, deu origem ao nome da doença);
  • Hemorragia;
  • Choque e insuficiência de múltiplos órgãos.

Prevenção

A vacinação é a principal forma de prevenção da doença. No caso da febre amarela urbana, evitar a reprodução do mosquito Aedes Aegypti também é essencial.

Barão de Cocais está entre as áreas consideradas de risco pelo Ministério da Saúde, e a vacinação é especialmente indicada para a população. A vacina está disponível durante o ano todo nas unidades de saúde de forma gratuita. Válida por dez anos, ela pode ser aplicada em crianças com mais de seis meses de idade e é muito importante no caso de pessoas com mais de 60 anos, ou que apresentam quadro de imunodeficiência grave (AIDS).

Para evitar o desenvolvimento da doença, o diagnóstico e a indicação do tratamento adequado são passos fundamentais. Caso você perceba algum dos sintomas citados, procure um médico na unidade de saúde mais próxima.

Você também pode obter mais informações sobre a Febre Amarela nas Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde de todo o país, ou no Ministério da Saúde.

Artigos que você também pode achar interessante